O Inverno Chegou! 18 Dicas para aumentar a imunidade

Uma seleção de dicas de prescrição para a imunidade no inverno.

1. ALLER  7

 

Pills

É uma mistura de sete extratos de plantas clinicamente comprovada para promover a saúde do sistema imunológico. As sete plantas são: Phyllanthus emblica, Terminalia chebula, Terminalia bellerica, Albizia lebbeck, Zingiber officinale, Piper longum e Piper nigrum. Essa mistura fornece níveis normalizados de polifenóis, glicosídeos, piperina, ácido gálico e gingerol, que serão responsáveis pela atividade do produto.
Ações

  • Possui atividade anti-histamínica;
  • Ajuda a prevenir a liberação de histaminas e outros mediadores bioativos;
  • Inibe a inflamação crônica durante as reações alérgicas;
  • Reduz reações induzidas por alérgenos que afetam os tecidos da pele e intradérmicos;
  • Inibe a degranulação da célula estabilizando os mastócitos contra inflamação e irritação;
  • Promove a atividade antiespasmódica (alivia a tosse) pela inibição de carbacol e cloreto de bário, espasmogênios que afetam tecidos lisos dos brônquios;
  • Alivia a congestão nasal, aumentando o movimento do muco;
  • Impede a atividade de lipoxigenase induzida em condições inflamatórias;
  • Desativa a degranulação dos mastócitos pela inibição da atividade da hialuronidase;
  • Induz a eliminação de radicais livres (superóxido, óxido nítrico, hidroxilo, e ABTS) para enriquecer os antioxidantes pulmonares.

 

Dosagem usual

Como uma dieta suplementar, deve-se tomar 700mg (660 mg de ingrediente ativo + 40 mg de excipiente) duas vezes ao dia com as refeições, durante 6 – 12 semanas. Depois disso, tomar 350 mg (330 mg de ingrediente ativo + 20 mg de excipiente) duas vezes ao dia com as refeições.

 

 2. ASTRAGALUS

huang

É usado para melhorar a resposta imune e manter a saúde global (Sinclair, 1998). Diz-se que o astragalo, conhecido como huang chi ou huang qi, estimula ou potencia­liza os componentes do sistema imune, incluindo a atividade das células natural killer (NK)(Memorial Sloan-Kettering, 2005).

Em indivíduos com baixo número de leucócitos, o astragalo pode aumentar o número de células brancas e níveis de interferon, impor­tantíssimos no combate a vírus (Kurashige e col., 1999). Também se observou que o astragalo intensifica a atividade dos macrófagos.

Vários constituintes químicos de Astragalus como as saponinas, flavonóides, polisacarídeos e glicosídeos, têm sido identificados como ativos potenciais. Astragalus é também associado a outras ervas adaptogênicas como o ginseng promovendo a segurança contra vários fatores estressantes internos e externos. A combinação de Astragalus com equinácea é comum contra infecções da membrana mucosa.

Indicações

  • Estimula o sistema imunológico;
  • Promove proteção contra câncer;
  • Atua como um adaptogênico (resistência não específica ao estresse);
  • Aumenta os níveis de energia.

 

Dosagem usual

Astragalus está disponível como um ingrediente individual, mas pode ser ainda mais efetivo em dosagens menores (100 a 200mg/dia) quando combinado com outras ervas e nutrientes imuno-estimulantes.

Aproximadamente recomenda-se 500 mg/dia para a estimulação do sistema imunológico e para promover resistência aos efeitos do estresse, preferencialmente em doses divididas de 250mg do extrato padronizado.

 

3. BETA CAN – BETA GLUCAN 70%

Aveia

A betaglucana (B-Can 70) é a forma mais concentrada da fração solúvel das fibras da aveia (derivada da parede celular do endosperma da aveia), a 70%. É um polímero natural composto de moléculas individuais de glicose, que estão ligados entre si por ligações lineares do tipo b-(1-3) e b-(1-4), não hidrolisado pelas enzimas do trato digestivo humano.

Esse polímero é o mesmo encontrado no cogumelo Agaricus blazei (Cogumelo do Sol).

B-Can 70 protege o sistema humano contra bactérias, vírus, tumores, e toda classe de doenças. Pesquisas indicam que a ingestão de B-Can 70 ativa os leucócitos, responsáveis pela defesa do organismo. Em um recente estudo, defende-se que uma dieta enriquecida com B-can 70 há 28% menos chances de adoecer e 18% mais chances de sobreviver, em relação aos controles, devido à atividade dos macrófagos e uma maior resistência aos vírus.

Pesquisas indicam que a ingestão de B-Can 70 ativa os leucócitos, responsáveis pela defesa do organismo. Em um recente estudo, defende-se que uma dieta enriquecida com B-can 70 há 28% menos chances de adoecer e 18% mais chances de sobreviver, em relação aos controles, devido à atividade dos macrófagos e uma maior resistência aos vírus.

 

Dosagem usual

B-Can tem 70% de beta glucana, em sólidos a dose será de 4,5 g por porção e 2,5g por porção em forma farmacêutica líquida.

 

4. CAMU CAMU- Myrciaria dubia

camu

Fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema cardíaco, prostatite, auxilia no tratamento de câncer de mama, excelente antioxidante, retarda envelhecimento, auxiliar prisão de ventre e uso em cosméticos.

É uma fruta nativa da Amazônia semelhante à jabuticaba, porém suas sementes são bem pequenas e com uma concentração de vitamina C (de 2870 a 6.100mg), superior 120 vezes mais que a laranja (41,0 mg de vitamina C), 60 vezes mais que o limão (100mg) e o dobro da acerola (1.790 mg de vitamina C). (BRADFIELD e ROCA, 1964 e JUSTI et al., 2000).

Devido a sua grande reatividade (conversão na sua forma oxidada), principalmente em soluções não ácidas, o teor de ácido ascórbico normalmente rapidamente decai (PENTEADO, 2003), consequentemente o seu armazenamento é difícil.

No camu-camu, contudo existem vários relatos descrevendo a forte estabilidade da vitamina C. Por exemplo, o teor de vitamina C em suco do camu-camu é relativamente estável, mesmo após a incidência prolongada de luz, diferente do que ocorre no caso do teor de vitamina C em outros sucos (laranja e limão).

Essa estabilidade não usual da vitamina C em extratos aquosos de camu-camu deve estar associada à presença de substâncias que estabilizam a vitamina C nesses extratos, possivelmente substâncias antioxidantes naturais, por exemplo, de flavonóides, camu-camu é rico em flavonóides.

Indicação

  • Fortalece o sistema imunológico – aumenta a resistência natural do organismo, combate aos radicais livres causadores de envelhecimento e auxilia no fortalecimento do sistema imunológico;
  • Promove vitalidade as pessoas com deficiências orgânicas;
  • Promove a eliminação de toxinas do corpo e em especial do fígado;
  • Estimula o sistema cardíaco e circulatório;
  • Auxilia no combate ao stress que pode levar a depressão;
  • Aumenta a resistência, combatendo a gripe e a pneumonia inclusive em crianças e pessoas de terceira idade;
  • O camu-camu possui grande quantidade de fibras, que ajudam contra a prisão de ventre;
  • Possui elevados teores de potássio sugerem seu uso no tratamento de hipertensão, por favorecer o balanceamento no nível de sais do organismo;
  • Auxilia no tratamento de prostatite e câncer de próstata;
  • Uso em cosméticos (fonte de vitamina C ,antioxidante e conservante).

 

Dosagem usual

500 mg / 1x dia.

 

5. CODONOPSIS ROOT

CODONOPSIS

Codonopsis pilosula é uma erva muito popular, originária da China e Coréia, amplamente utilizada nestes países, seu nome popular é Flor Bonnet.

Codonopsis pertence à família Campanulaceae. Sua raíz contém triterpenos, esteróides, alca-lóides, glicosídeos, polissacarídeos e pequenas quantidades de saponinas. Esses componentes têm impacto benéfico sobre o estômago, pulmões e baço. Eles estimulam a produção de fluidos corporais, fortalece o sistema imunológico e aumentam as células sanguíneas vermelhas e brancas.

Codonopsis pilosula foi usado como um adjuvante em 76 pacientes com câncer durante a radioterapia e seu efeito protetor sobre a função hematopoiética e imunológica foi estudada. Foram obtidos os seguintes resultados:

  • Não houve influência sobre a Hemoglobina e células brancas dos pacientes com radioterapia.
  • Reduziu o efeito imunossupressor da radioterapia em reação de hipersensibilidade retardada, a resposta de linfócitos para o PHA e IL-2.
  • Não houve diferença na maioria dos índices humorais imunológicos tais co-mo IgG, IgA e C3 entre os grupos tratados e controle, mas ocorreu ligeiro aumento na IgM em doentes tratados, enquanto diminuição significativa no controle.

 

Dosagem usual

500 mg – 750 mg, 2 vezes ao dia.

 

6. CÚRCUMA LONGA

A cúrcuma mostrou alterar agentes envolvidos na inflamação e prevenir o aumento de osteoclastos. O efeito parece estar ligado à inibição da NF-kappaB, uma proteína que controla a expressão genética das substâncias responsáveis pela resposta inflamatória.

Após a retirada do mercado de antiinflamatórios como o Vioxx, milhares de pacientes com artrite passaram a recorrer às chamadas medicinas alternativas e complementares, incluindo suplementos dietéticos, entre as quais a cúrcuma. A Cúrcuma ajuda estabilizar o microbiota do corpo, inibindo o desenvolvimento excessivo de bactérias no corpo. Também ajuda a melhorar os locais de recepção de cortisol no corpo e suas propriedades antiinflamatórias são consideradas tão efetivas quanto às cortisonas.

A Cúrcuma previne a agregação de plaquetas sanguíneas pelos vasos sanguíneos, o que pode conduzir a formação de coágulos perigosos para a saúde. Além disso, ajuda a proteger o fígado e é excelente para desintoxicar o mesmo de substâncias químicas tóxicas. A Cúrcuma longa também ajuda a proteger o corpo dos efeitos da fumaça e outros poluentes. Estudos recentes tentam provar a eficácia da Cúrcuma longa contra a formação e progressão do câncer.

Indicações

Analgésico, antibacteriano, anticoagulante, antifúngico, antiinflamatório, antioxidante, anti-séptico, aromático, adstringente, colagogo, tônico estimulante, tônico digestivo, circulatório, emenagogo, hepato-tônica, estimulante.

Dosagem usual

300mg ao dia (extrato seco padronizado 0,4% curcuminóides)

 

7. EPICOR

EpiCor® possui três vezes mais poder antioxidante do que qualquer fruta e é capaz de ativar as células Natural Killers (NK) e células B humanas, além de fortalecer a barreira imune das mucosas. Ensaios clínicos em humanos têm comprovado os benefícios do EpiCor® como preventivo e adjuvante nos tratamentos das doenças associadas ao sistema imunológico, dois dos quais mostraram que a suplementação diária com esse produto totalmente natural pode ser efetivo contra os sintomas da gripe e do resfriado. O primeiro destes ensaios randomizados, duplo-cego e placebos-controlados de 12 semanas avaliou as possíveis vantagens do EpiCor® em sujeitos sadios vacinados. Os voluntários que tomaram EpiCor® apresentaram incidência de infecções do trato respiratório superior (ITRS) significativamente reduzida quando comparados com o placebo. Também foi observado que, quando os sujeitos tomando EpiCor® desenvolveram ITRS, a duração dos sintomas foi estatisticamente menor. Estes resultados se mantiveram independentes da idade e do sexo dos participantes. Com a incidência e a duração dos sintomas reduzidas, o grupo do EpiCor® relatou menos dias de adoecimento por gripe e resfriado do que o grupo placebo.

O segundo ensaio foi conduzido em 110 voluntários que não haviam sido recém vacinados contra gripe e resfriado. Os resultados mostraram redução estatisticamente significativa da incidência dos sintomas de gripes e resfriados no grupo do EpiCor®, e uma forte tendência para encurtar os sintomas quando os sujeitos do mesmo grupo adoeceram. Assim sendo, em ambos os ensaios, os indivíduos que tomaram EpiCor®, vacinados ou não, apresentaram menos dias de adoecimento devido aos sintomas de gripes e resfriados em comparação com o grupo placebo2.

EpiCor® manifesta resultados positivos sobre muitos marcadores da função imunológica. Foi detectado um aumento nas concentrações da imunoglobulina A secretória (IgAs) na saliva humana com a ingestão do produto em um ensaio duplocego placebo-controlado, cujos voluntários receberam 500mg de EpiCor® versus placebo por cinco semanas.

Embora o EpiCor® ative as células NK, isto não leva a um aumento nos níveis da citocina pró-inflamatória interferon-gama (IFN-γ) tipicamente produzida pelas NK ativadas. Dois estimuladores da produção de IFN-γ, PHA (fitohemaglutinina) e IL-2 (interleucina-2), foram usados isoladamente ou em combinação com o EpiCor® em culturas de PBMC. EpiCor® reduziu os níveis de IFN-γ induzido por PHA e IL-2, mas não estimulou a produção da citocina quando aplicado sozinho. O produto parece interferir na produção de IFN somente quando seu estímulo é provocado por outro agente distinto, ajudando a diminuir os seus níveis no meio. Parece que o EpiCor® altera a expressão dos receptores de superfície das células NK para quimiocinas, dificultando a sua resposta aos sinais quimiotáticos de recrutamento dos tecidos.

 Dosagem usual

Uma cápsula contendo 500mg de EpiCor® deve ser consumida diariamente.

 

8.  ECHINÁCEA PURPUREA

É indicada para uso interno como adjuvante e profilaxia de infecções recorrentes do trato respiratório superior (resfriados comuns) e também no trato urogenital. Externamente como adjuvante no tratamento de feridas superficiais e ulcerações crônicas.

A administração oral é tão eficaz quanto à administração parenteral, embora de ação lenta.

Em um estudo randomizado, duplo cego, contou com 108 pacientes com um histórico de mais de 3 resfriados ou infecções respiratórias acometidos durante um ano foram tratados duas vezes ao dia durante 8 semanas com 4 ml com uma preparação contendo de suco de Echinácea  ou placebo. Durante o tratamento 65% dos pacientes no grupo que recebera a preparação de Echinácea e 74% do grupo que recebera placebo tiveram ao menos um resfriado ou infecção respiratória. A média de resfriados ou infecções respiratórias por paciente e a média de duração dessas enfermidades foram de 0,78 e 4,5 dias respectivamente no grupo que recebera o preparado de Echinácea comparado com 0.93 e 6,5 dias no grupo que recebera placebo. Analisando um subgrupo de 66 pacientes (29 grupo que recebera a preparação de Equinácea e 37 grupo placebo) os quais foram especialmente suscetíveis a infecções (células T4/T8 razão <1,5) a duração média das infecções foi reduzida para 29%, sendo 5,34 dias em pacientes que receberam a preparação de Echinácea e 7,54 dias para os paciente que receberam placebo.

 

Dosagem usual

200 mg 1 a 3 x ao dia

 

 9. EXSELEN®

Selênio com alta biodisponibilidade e totalmente natural. O Selênio é um potente antioxidante, essencial para a manutenção da saúde.

Produzido com levedura de selênio orgânico, eXselen® passa por completas e sofisticadas análises e é processado para alcançar altos níveis de Seleniometionina, mais biodisponível do mercado e da forma mais segura para uma dieta suplementar.

De acordo o artigo Journal of American College of Nutrition, selenometionina (Se-Met) é, dentre as formas orgânicas, a mais apropriada para a suplementação de selênio devido às evidências de maior biodisponibilidade e menor toxicidade. Essa biodisponibilidade garante uma rápida absorção, de modo que o selênio ingerido seja realmente utilizado pelo organismo.

 Indicações

  • Suplementação de selênio;
  • Aumento da imunidade;
  • Ação antioxidante rejuvenescedora;
  • Prevenção de doenças crônicas;
  • Adjuvante nos tratamentos do câncer (especialmente o câncer de mama, de colo, de pulmão e de pele).

 

Posologia

Contém aproximadamente 2000μg/g de levedura de selênio, o que corresponde a 98% de selênio orgânico, sendo que 70% deste é disponibilizado sob a forma de selêniometionina (Se-Met).

Recomenda-se a ingestão diária de 100μg de selênio sob a forma fermentada do eXselen®, portanto aproximadamente 50mg de eXselen® por dia.

10. FOSFOLIPÍDEOS DE CAVIAR

Consistem em uma associação de fosfolipídeos de origem marinha (principalmente fosfatidilcolina) e lipídeos neutros extraídos das ovas de arenque. É particularmente rico em ácido graxos poli-insaturados (PUFAs) ômega-3 (DHA e EPA) e contêm, naturalmente, vitamina E e astaxantina

Os PUFAs ômega 3 estão incorporados aos fosfolipídeos, considerados os melhores carreadores biológicos devido ao alto conteúdo desses componentes nas membranas celulares. Desta forma, ocorre a “biossimilação” imediata e o carreamento de forma potencializada de PUFAs ômega 3 até o plasma e os tecidos “alvo”.

Possuí vantagens sobre outras fontes de ômega 3 , por apresentar maior absorção e biodisponibilidade, equilíbrio adequado entre DHA e EPA (2/1), mínimo de 20% de DHA, 30% de PUFAs ômega-3, presença de antioxidantes, melhor resistência à oxidação

Dentre seus diversos benefícios, o Fosfolipídeos de Caviar, pode ser utilizado como modulador inflamatório e imunológico.

 

Dosagem usual

Associado a outros ativos: 50 a 400 mg/dia.

Isolado: 400 a 4200 mg/dia

11. FRUCTO GOJI BERRY E.P.

Lycium é o maior tônico Chinês a base de erva, primeiramente mencionado no Divine Husbundman´s Classic (Shen’nong Bencaojing). Tradicionalmente acredita-se que o Lycium prolonga a vida – um herbalista Chinês disse que viveu por 252 anos devido a tônicos de ervas, inclusive o Lycium. Hoje, tanto o fruto quanto a raiz possui um amplo uso medicinal.

Indicações

  • Melhora a resistência contra doenças;
  • Melhora o humor;
  • Alivia dores de cabeça e tonturas;
  • Melhora a resistência contra doenças;
  • Fortalece o sangue, melhorando a produção de glóbulos brancos e plaquetas;
  • Fortifica os músculos e os ossos;
  • Alivia a ansiedade e estresse;
  • Alivia a insônia e melhora a qualidade do sono, etc

 

Mecanismo de Ação

Resistência a doenças – Os radicais livres superóxidos foram implicados por terem um importante papel na progressão de doenças humanas. Superóxido é neutralizado no corpo pela enzima superóxido dismutase (SOD), mas com a idade o corpo produz menos SOD. Em qualquer idade, o estresse do dia a dia pode sobrecarregar a habilidade do corpo para produzir SOD suficiente para todos os problemas de saúde. Goji mostrou resultados positivos em 40% de aumento na fabricação de enzimas importantes SOD.

 

Melhora a resposta imunológica – O sistema imunológico são as forças “armadas do corpo”. Mais de 40 anos de pesquisas relevam a habilidade de Goji para regular a imunidade e controlar algumas funções de defesa importantes. Os polisacarídeos de Goji melhora e equilibra a atividade de todas as classes de células imunológicas, incluindo as células T, células citotóxicas T,  células NK, lisozimas, fator alfa de tumor de necrose e as imunoglobulinas IgH e IgA.

 

Promove a saúde do sangue – Goji é um renovador e rejuvenescedor do sangue, células vermelhas vitais foram protegidas contra danos dos radicais livres devido aos flavonóides de Goji. Goji também tem sido usado em tratamentos de fraqueza nos ossos e condições deficientes (baixa produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas).

 

Aumenta a contagem de linfócitos – Os linfócitos são um grupo dos glóbulos brancos de importância crucial na parte adaptativa do sistema imunológico do corpo. A porção adaptativa do sistema imunológico promove uma defesa quando organismos perigosos invadem e penetram as defesas gerais do corpo. Goji aumenta a contagem de linfócitos e ajuda a ativa-los quando o corpo está sendo atacado.

 

Dosagem usual

500 mg de uma a três vezes ao dia ou conforme instrução médica.

 

12. GENGIBRE –  Zingiber officinale

O rizoma (raiz) é a parte da planta para uso, e seus constituintes são: óleos essenciais (gingeróis, zingibereno, falandreno, canfeno, cineol, broneol e citral) e carboidratos.

O Gengibre tem muitos usos na medicina popular, é ingerido para combater doenças respiratórias e descobriu-se que é eficaz contra enjôos de viagem e no tratamento de      ressaca. O gengibre possui atividade antiemética comprovada em vários estudos, sendo     evidenciado que sua atuação não ocorre centralmente, no centro do vômito, e sim,     apresenta um efeito direto no trato gastrintestinal, através de suas propriedades     aromáticas, carminativas e absorventes, aumentando a adsorção de toxinas e ácidos, o     tônus e a motilidade gastrintestinal.

Possui propriedades estimulantes, antinauseantes, antilipidêmico, anticolesterolemico, estomáquico, depurativo.

  Indicações

  • profilaxia de náuseas e vômitos associados à cinesia (cinetose) e náusea pós-operatória;
  • cólicas;
  • dores de garganta, resfriados, náusea, gripe, bronquite, rouquidão, asma;

 

 Dosagem usual

200 à 400mg ao dia.

 

 

13. LEONORUS SIBIRISCUS

A Leonurus sibiricus L., conhecida popularmente como rubim, tem sido empregada na medicina popular em todo o mundo há séculos, sendo seu primeiro registro na literatura do ano 106 da Era Cristã. Considerada amarga, diurética, estimulante da circulação, hipotensora, é aplicada principalmente para o tratamento de processos inflamatórios. É nativa da Sibéria, China e Japão e naturalizada em quase todo o território brasileiro, de crescimento espontâneo, principalmente no Sul e Sudeste. No Brasil é encontrada em quase todas as regiões, mas raramente forma densas colônias.

Leonurus vem do grego “leon”, leão, e “oura”, cauda, motivado pelo aspecto da parte terminal da planta. “Sibirucus” significa da Sibéria, região de onde a planta é oriunda.

A erva é usada interiormente para problemas de visão relacionados ao fígado (sementes); menstruação dolorosa e excessiva, sangramento pós-parto (planta inteira, sementes); edema, problemas renais, pedras renais, eczema, e abscessos (planta inteira). Não deve dado às mulheres grávidas.

 Finalidade terapêutica

O gênero apresenta grande importância em medicina popular onde é usada em processos inflamatórios, antipiréticos, sedativo, casos de bronquite, coqueluche, afecções do estômago e do intestino, embaraços gástricos, vômitos, diarréias, gripe, resfriado e reumatismo. Sob a forma de tintura alcoólica ou xarope é indicada na asma, além disso, atribuem-lhe propriedades tônicas, antiespasmódicas e béquicas.

Indicações

  • Doenças de pele;
  • Erisipela;
  • Processos inflamatórios;
  • Combater o colesterol;
  • Pressão alta;
  • Vômitos;
  • Embaraços intestinais;
  • Diarréias em crianças;
  • Azia;
  • Poderoso antibiótico;

 

 Dosagem usual

1 cápsula de 50 mg/ dia.

 

 

14. OLI OLA

Além de ajudar a impedir o estresse oxidativo e neutralizar radicais livres, estudos têm demonstrado outras não menos importantes atividades biológicas dessa substância, tais como ação antiagregante plaquetária, antioxidante de lipoproteínas LDL e inibidora das lipoxigenases (envolvidas no processo inflamatório), e ainda a indução da apoptose células HL-60 e atividade antimicrobiana contra bactérias gram-negativas e gram-positivas. É considerado, portanto, um componente indispensável em uma dieta de hábitos saudáveis para evitar patologias de alta incidência na população atualmente, como doenças cardiovasculares e câncer.

Prova disso foi a publicação em 08 de abril de 2011 da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar sobre os polifenóis de oliva, visando a alegação de saúde em primeiro lugar: “Concluiu-se que uma relação de causa e efeito foi estabelecida entre o consumo de polifenóis do óleo de oliva (padronizado pelo conteúdo de hidroxitirosol e seus derivados) que promoveram a proteção das partículas de LDL do dano oxidativo.”

 Indicações

Antioxidante, regulador de colesterol, anti-hipertensivo, antiinflamatório, anticarcinogênico, antimicrobiano, combate o envelhecimento cronológico e o fotoenvelhecimento, reforço ao sistema imunológico.

 

Dosagem usual

150 a 300mg/dia.

 

 

15. POMEGRANATE – Punica granatun Linn

Há evidências de que a ingestão diária do suco feito com a casca, as sementes e a polpa ajuda a controlar a pressão arterial, reduzir o colesterol ruim (LDL) e prevenir o câncer de mama e de próstata.

Os compostos fenólicos – antioxidantes que preservam estruturas biológicas como a membrana celular – presentes na fruta têm propriedades antiinflamatórias e capacidade para aderir à mucosa, protegendo-a. Por esse motivo é indicado gargarejo com a casca da romã para aliviar dores de garganta.

Mas é dentro da romã, nas sementes e na película esbranquiçada que as envolve que estão guardadas as antocianinas (substâncias anticancerígenas) e os ácidos gálico, elágico e protocatequínico (poderosos antioxidantes). Aliás, um estudo da Universidade da Califórnia feito em 2000 provou que o suco da fruta contém duas vezes mais antioxidantes do que o vinho tinto.

Pesquisas apontam que esses ácidos protegem os vasos sanguíneos, reduzindo as chances de infarto e derrame.

Pomegranate é rico em ácido elágico, um tipo de polifenol, que atua como antioxidante e anti- envelhecimento.

Estudos in vitro com a substância pura aplicada em membranas de células e no DNA mostraram que moléculas de ácido elágico se ligam ao cobre e ao ferro e impedem que eles formem radicais livres, aquelas moléculas instáveis que agem no envelhecimento e no câncer. O ácido elágico atua como um “escudo” protegendo as moléculas mesmo que os radicais livres sejam formados em pequena quantidade.

A literatura internacional relaciona também o ácido elágico com a diminuição do risco de malignidade de tumores de esôfago e do intestino. Nesses casos, ele atua induzindo a mortalidade das células cancerígenas pelo estímulo da ação de enzimas detoxicadoras – que removem células cancerosas. Esse mecanismo diminui a resistência de tumores tratados com quimioterapia e radiação gama.

 

Dosagem usual

225 a 450 mg de pomegranate

 

 

16. PROCIANIN – (Vitis vinífera)

É um fitoterápico originado da Vitis vinífera,padronizado com no mínimo 95% de proatocianidinas.

Vários estudos demonstraram que as unidades de proantocianidinas, especialmente as retiradas da espécie de Vitis vinifera, têm uma excelente atividade antioxidante. A vitamina C e E são comumente empregadas com tal função, entretanto estudos conduzidos por Shi ET AL, em 2003, mostraram que as proatocianidinas da Vitis vinifera possuem capacidade antioxidante 20 vezes maior que a vitamina C e 50 vezes maior que a vitamina E.

Além dessa ação antioxidante com benefícios na imunidade, é normalmente utilizada no tratamento de alergias, por reduzir a produção de histamina.

 

Dosagem usual

100 a 300 mg/dia.

 

 

17. SHATAWARI – (Asparagus racemosus extract)

Asparagus racemosus apresenta muitas propriedades na Medicina Ayurvédica. Seus principais constituintes são as saponinas esteroidais, conhecidas como shatavarins I-IV. Shatavarin I é o principal glicosídeo conhecido também como ASPAROSIDE que possui 3 porções de glucose e ramnose ligados a sarsasapogenina

A complexidade estrutural das saponinas resulta de um número de características físicas, químicas e propriedades biológicas e que lhe conferem uma variedade de propriedades farmacológicas importantes: antioxidantes, imunoestimulantes, antihepatotóxicas, antibacterianas, úteis para a retinopatia diabética, anticancerígenas, antiúlcera e reprodutiva.

Estudos

  • Extrato da raíz de Asparagus racemosus (200 e 400 mg / kg, p.o.) mostrou atividade antitussígena significativa em camundongos com tosse induzidos por dióxido de enxofre. Houve significativa inibição da tosse (40 e 58,5%, respectivamente), resultados estes comparáveis às dosagens de 10-20 mg / kg de fosfato de codeína quer produzem respectivamente os resultados de (36 e 55,4%).
  • Concentrações diferentes (50, 100, 150 mcg /ml) do extrato alcoólico das raízes de Asparagus racemosus, demonstrou considerável atividade antibacteriana in vitro contra Escherichia coli, Shigella dysenteriae, Shigella sonnei, Shigella flexneri, Vibrio cholerae, Salmonella typhi, Salmonella typhimurium, Pseudomonas putida, Bacillus subtilis e Staphylococcus aureus. Os efeitos produzidos pelo seu extrato alcoólico foram comparados com cloranfenicol. Sua atividade antimicrobiana pode ser atribuída ao fato de que em sua composição encontra-se o ativo 9,10-Dihydrophenanthrene (racemosol).
  • Estudos em animais revelaram que Shatawari possui atividade imunológica. Ele foi capaz de prevenir a mielossupressão, reduzindo a leucopenia induzida por ciclofosfamida. Os macrófagos desempenham um papel central no desenvolvimento de aderências peritoniais e a modulação de sua atividade pode impedir estas adesões.
  • Estudo in vivo descobriu que Asparagus racemosus, Tinospora cordifolia, Withania somnifera e Picrorhiza kurrooa inibiram a produção de interleucina-1 e TNF-alfa realizada pelos macrófagos.

 

Dosagem usual

 250 a 500 mg, 1 a 2 vezes ao dia.

 

 

18. Wellmune WGP

É um polímero funcional natural – gluco 1,3/1,6 polissacarídeo – derivado da Saccharomyces cerevisiae com segurança clinicamente testada que reforça a imunidade do organismo.

Estudos demonstram que a suplementação diária reduziu a incidência de sintomas associados com infecções do trato respiratório superior e melhorou o estado psicológico e o bem-estar dos participantes.

Wellmune ativa e envolve os neutrófilos, reconhecendo e eliminando patógenos mais rapidamente.

Indicações

  • Melhora a saúde física;
  • Reduz sintomas causados por infecção do trato respiratório;
  • Reduz os efeitos nocivos do estresse sobre o corpo;
  • Reduz os sintomas associados à gripes e resfriados;
  • Melhora o vigor físico, clareza mental e reduz a fadiga.

Wellmune WGP® é um ativo que possui certificação GRAS-aprovado, GMO livre, Certificação Kosher, Halla e não alergênicos. Seu reforço no sistema imunológico é clinicamente comprovado.

 

Dosagem usual

2,5 mg/ kg corporal.

 

pecaemcasa

 

 

Sugestões de Prescrição

Solicitar Nas Visitas de Nossa Representante

Se ainda não recebe nossas visitas, entre em contato:

comercial@vitalispharma.com.br